23 de julho de 2015

acidental

inadvertidamente fiz se unirem duas células simplórias
mais primitivas que a vida
um pouco menos que a morte

uma delas, a que me habitava primeiro
projetou-se por dias em direção ao meu âmago
e enquanto lá esperava o tempo da desintegração
ocorreu-lhe a apoteose rara da natureza

a outra, intrusa e certeira
rompeu-lhe a delicada fronteira
e coube a esta membrana anencéfala
autorizar o que eu não havia autorizado

Deus é uma tentativa de premeditarmos
a origem acidental do mundo

minha filha é a origem acidental
do meu signifcado de Deus

uma dúvida

hasteada por mim
sem que eu a tenha tocado
tua bandeira pouco tremula

cravada no ventre
dos homens
não dança ao vento
mas ao calor
e quando está a meio pau
não quer dizer luto 
mas luta 

estivemos na lua e no Novo Mundo
cravando bandeiras
tentando assemelhar todo território tomado
ao corpo de um homem rijo

tu dizes da vagina causar todas as guerras
não sei
se assim fosse
faríamos crateras para designar conquistas