20 de dezembro de 2011

História da aquisição da linguagem

Passava o tempo por seus olhos grandes sem que estes se dessem conta. A vida era satisfazer um corpo pequeno, peludo. Ora comida, ora água, ora cobertor, ora quedar parada vendo o tempo sem saber da existência do próprio tempo. Não esperava por nada. Tinha necessidades apenas - estava livre dos desejos, estes que corroem, até onde se sabe, apenas as almas humanas. Isenta da certeza de sua própria morte, a gata apenas existia em minha frente. Quando queria, vinha. Eu a invejava, pensando que se tivesse nascido gata talvez pudesse conhecer a plenitude de deus.

Um comentário:

  1. Lilian Niederauer22/12/2011 22:21

    Thessinha, sempre uma delicia ler/ouvir e sentir a partir do seu talento com a palavras. Sou fã. Ainda bem que nem sempre viajar e ficar horas de blog em blog, fb em fb, é perder tempo..."vire e mexe" acho uns tesouros desses. Um beijo!

    ResponderExcluir