16 de junho de 2012

moenda

aqui na terra nois chama nóóó
praís quiocês tão vazeno
detrás do muro, dendo armário
aqui de fora nois tá veno

ocês range tudo, parece moenda

parece um chicote no boi sereno
e ao mestempo ocês são quetim
iguar o sor, a poeira e o veneno

ocês dribla tudo, fala por código

ocês é esperto mas nois tamém semo
nois pode ser novo, bobim e carpira
mas divagarzim vai percebeno

ocês fala bonito, da história dascoisa

fala de desejo, dever e cosseno
trigonomestria, universo infinito
escreve em língua que nois num lemo

ocês brinca de padre, doutor e menino:

ocês esconde e pergunta e nós confessemo
ocês têm os ensino tudim do corpo dosotro
ocês cutuca as menina e sai correno

mas nois semo forte na arte do espio

nois só faz oiar e ficar quereno
nois desvia as pergunta de num responder
nois faz ocês rir passeguir moeno

nois é iguar ocês; cadiquim menos

Nenhum comentário:

Postar um comentário