18 de julho de 2015

ira mãe

a sobriedade nascida da tristeza
neta da ira
ira mãe
de tragédias
ira filha bastarda do tal desamparo
esta sobriedade neném
que ramifica uma vez mais a indulgente árvore da vida
sem saber quem ela é, a amo
como amamos os nenéns
com desapego displicente
sem pretensão de reciprocidade
ou pelo menos sem pressa

esta sobriedade
logo ali - há de amadurecer em alegria honesta

Nenhum comentário:

Postar um comentário